Anatomia do Fauno

Teatro da Pombagira Anatomia do Fauno

Inspirado pela poética utópica de Arthur Rimbaud, que sonhava com uma língua universal sem palavras que tocasse diretamente os sentidos, “Anatomia do Fauno” atua nos limites entre o teatro e a performance. Busca dissecar as temporadas infernais e iluminações da cena homoerótica contemporânea. Partindo de uma pesquisa das vivências pessoais dos próprios integrantes do grupo, o espetáculo divide-se em dois atos.

O primeiro explora experiências eróticas ligadas à solidão desesperada, aos amores abortados, ao consumo de corpos, medo, culpa e repressão que nos fazem oscilar em dualismos heteronormativos. O segundo ato pretende construir, a partir dos destroços dessa realidade, uma utopia mais risonha, afetuosa e livre, quebrando gênero, número e grau nas relações homoeróticas.

A figura mitológica do Fauno, retirado de seu ambiente natural e posto numa cidade como São Paulo, é um fio condutor para essa jornada pelas sombras e luzes artificiais das noites metropolitanas. Caminhando da doença à cura, este Fauno é guiado para a anatomia de um corpo que supere os fracassos de nossa humanidade consumista.

“Anatomia do Fauno” é um espetáculo fruto da parceria inédita entre o Teatro da PombaGira, o Laboratório de Práticas Performativas da USP e a SP Escola de Teatro, numa residência de um ano ao longo do qual esse coletivo de dezenas de homens gays de todas as áreas, da performance, teatro, das artes em geral e outros tipos de profissionais sem experiência cênica, se uniu pelo desejo de representar imagens da cena homoerótica metropolitana e propor utopias como novas formas de convivência.

Em 2022, Anatomia do Fauno será recriado em formato cinematográfico. Não perca por esperar! Enquanto isso, assista a outros de nossos espetáculos completos e sem censura aqui: DEMONIOS e SOMBRA.

FICHA TÉCNICA

Realização: Teatro da PombaGira – Coletivo de Criadores, Laboratório de Práticas Performativas da USP e Residência SP Escola de Teatro
Direção: Marcelo D’Avilla e Marcelo Denny.
Dramaturgismo: Alexandre Rabelo
Performers: Alex Leandro, André Medeiros Martins, Breno Borges, Bruno Wendel, Cacau Francisco, Camilla Ferreira, Carlos Jordão, Carlos Valle, Clayton Policarpo, Danilo Patzdorf, Douglas Ricci, Duda Oliveira, Everton Dantas, Felipe Cavalcanti, Fefa Ferreira, Felipe de Oliveira, Filipe Robbe, Gabriel Marttin, Guilherme de Almeida, Gustavo Panoni, Gregório Candeloro, Hélio Beltrânio, Igor Luís, João Paulo Nóbrega, Linn da Quebrada, Marcelo D’Avilla, Mateus Rodrigues, Pedro Pêra, Rafael Marques, Rafa Soares, Raul Molina, Rodrigo Brunetti, Rodrigo Ximarelli, Sebah Nunes, Vinicius Massucato, Vagner Cruz, Veni, Wesley Lima, Wesley Lombini, William Priante
Equipe de Cenografia: Denise Fujimoto, Felipe de Oliveira, Gabriel Prado, Lucas Menezes, Nina Simão, Marcelo Denny e Marcello Girotti.
Equipe de Figurino: Marcello Girotti, Marcio Tassinari, Sueliton Martins e Alex Leandro
Equipe de Iluminação: Douglas Ribeiro, François Moretti e André Bragança
Trilha Sonora: Renato Navarro.
Assistentes: Gabriela Barbara e Renata Sotero
Ilustração: Diego Cernohovsky
Ilustração e Videoarte: Nerone Prandi
Videoart PIX de Antonio da Silva Films
Captação de Vídeo: Hugo Cabral Carneiro, Lucas Villar e Nerone Prandi
Designer Gráfico: Lucas Menezes
Body Art: Sueliton Martins e Hugo Cabral Carneiro
Produção: Jean Carlo Cunha, Aline Meira, Felipe Paganelli
Apoio: PopPorn, SP Escola de Teatro.
Registro em Vídeo: Raoni Reis e Felipe Lwe
Fotografias: Hélio Beltrânio e Chico Castro
Produção Executiva: FANJO